RSS

Ranking dos sites de compra coletiva e seus agregadores


Recentemente foram incorporados os sites agregadores de ofertas a listagem original. Estes sites estão se popularizando e funcionando como um verdadeiro resumo de todos os sites de compras coletivas do país.
Os consumidores tem adorado toda essa atividade em torno dos sites de descontos porque no final é o público quem sai ganhando.

ranking

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em março 14, 2011 em BuscaDigital

 

Tags:

Google Certification Program – A nova certificação AdWords


Veja os principais links da nova certificação:

Anúncio oficial:
http://googleblog.blogspot.com/2010/04/new-approach-to-how-we-work-with.html

Centro de estudos do AdWords:
https://adwords.google.com/support/aw/bin/static.py?hl=br&page=examstudy.cs&ctx=go&hl=pt_BR

Central de exames:
http://google.starttest.com/

Programa de Certificação Google:
http://www.google.com/intl/pt-BR/adwords/professionals/

Agora em 2011 a certificação está mais exigente e difícil, porém com a redução dos valores mínimos de orçamento por trimestre para as empresas e profissionais, respectivamente USD10.000 e zero, percebe-se que as empresas não precisam comprovar mais um longo tempo gerenciando contas. Será que isso pode baixar a qualidade das próximas empresas certificadas por esse novo modelo? Está aí uma boa pergunta..

 
Deixe um comentário

Publicado por em janeiro 3, 2011 em Links Patrocinados

 

Tags:

Google Adwords – controle os seus gastos


Por trás da aparente simplicidade do Google Adwords para anunciar na Internet, existe uma grande complexidade na criação de anúncios eficazes. Não conhecer a fundo o funcionamento do Adwords acaba sempre custando mais caro ao anunciante.

Existem dezenas de empresas e milhares de profissionais certificados no Google Adwords, nos Estados Unidos. No Brasil, não chegavam a 100 profissionais até pouco tempo atrás. Além dessa pouca certificação no Google Adwords refletir a enorme diferença do tamanho mercado publicitário on-line americano do brasileiro, ela também serve para mostrar que muitos anunciantes estão gastando bem mais do que poderiam ao anunciar on-line.

Abaixo seguem  algumas dicas que melhoram a eficiência dos seus anúncios na concretização de vendas por um custo menor. Aproveite!

O Google Adwords no contexto de negócios do Google
Independente de qualquer coisa, o Google é um mecanismo de pesquisa na Internet e para continuar tendo usuários ele precisa apresentar os resultados mais relevantes e importantes para eles. Isso inclui também a propaganda feita pelo Google Adwords. Propaganda relevante paga menos (bem menos) enquanto propaganda que não é interessante ao usuário precisa pagar muito para aparecer. O Google faz essa distinção através do índice de qualidade do anúncio que veremos abaixo.

Índice de qualidade dos anúncios do Google Adwords
O índice de qualidade dos anúncios do Google Adwords surge quando é usada a rede de pesquisa para exibir propaganda. O Google analisa se as palavras chaves utilizadas em sua propaganda do Google Adwords são usadas em pesquisas pelos usuários.

É com base nele que o CPC do seu anúncio é calculado (se o índice for alto você vai pagar menos por cada clique do que estabeleceu ao configurar sua campanha do Adwords) além do posicionamento.

Testar sempre os anúncios do Google Adwords
Pequenas modificações em um anúncio podem gerar resultados espantosos em termos de cliques e vendas. Começar as palavras com iniciais maiúsculas é conhecido por gerar mais cliques. Cortar preposições do texto do anúncio também. E vários outros fatores podem melhorar a quantidade de cliques que seus anúncios recebem. O segredo é então testar várias anúncios e após constatar que um nitidamente se destaca, descartar os demais e criar anúncios para tentar superar esse “campeão”.

Não deixar o Google Adwords escolher o anúncio mais eficaz
Por padrão o Google Adwords exibe o anúncio que tem a maior taxa de cliques (CTR). A determinação de qual anúncio tem melhor CTR é tomada rápido e muitas vezes um anúncio melhor (menor CPC e mais resultados) é preterido. Você deve desabilitar essa opção ao configurar uma nova campanha e tomar a decisão de qual o melhor anúncio manualmente com base no número de impressões X números de cliques.

Se vai vender, mostre o preço no Google Adwords
No Google Adwords não vale seguir o que é regra geral no Brasil: oferecer um produto ou serviço sem especificar o preço para o consumidor. Enquanto em uma loja não custa “nada” , se uma cliente achar uma roupa exposta na vitrine bonita, entrar perguntar o preço e ir embora sem comprar, no Google Adwords o clique já custa.

Então, a dica ao fazer propaganda de um produto no Google Adwords é colocar o preço e a forma de pagamento. Se o cliente não gostar do preço dificilmente vai clicar no anúncio e você não terá gasto com uma propaganda que não lhe trouxe uma venda.

Cuidado com a sugestão de lances mínimos do Google Adwords
Por padrão o Google Adwords dá uma sugestão de lance mínimo para que seu anúncio aparece entre a primeira e a terceira posição, no alto da página. Nesse momento ele não leva em consideração o índice de qualidade do anúncio, que só será considerado mais tarde, na hora em que o leilão entre os anúncios concorrentes acontecem.

Se você “sabe” que seu anúncio terá um bom índice de qualidade, ofereça 60% do valor sugerido pelo Google. Se o seu anúncio não aparecer bem posicionado, ao invés de aumentar o valor do lance, procure aumentar a qualidade dele.

Se você fez uma pesquisa de palavras chaves consultadas pelos usuários do Google e emprega-as em seus anúncios, em geral eles terão um bom índice de qualidade.

A diferença entre a rede de pesquisa e a rede de display no Google Adwords
Rede de pesquisa são os anúncios exibidos na pesquisa do Google ou em sites que usam o mecanismo de pesquisa dele. Já a rede de display são os anúncios exibidos em sites parceiros do Google (os anúncios do lado direito desse texto são da rede de display, por exemplo).

Muitas vezes compensa investir apenas na rede de pesquisa ou apenas na rede de display. Se, por exemplo, você sabe exatamente quais as palavras que o consumidor usa para pesquisar e chegar ao seu produto muito provavelmente você investir apenas na rede de pesquisa será mais rentável. Por outro lado se você quer fazer uma propaganda institucional, provavelmente a rede de display é melhor para esse caso por ter um custo de CPC em geral mais baixo.

Encontrando bons sites para veicular anúncios do Google Adwords
Se você for usar a rede de display do Google ele se esforçará por exibir seus anúncios em sites que mais tenham a ver com o conteúdo dele. Mas você pode ajudar o mecanismo do Google Adwords selecionando especificamente os sites que quer exibir sua propaganda. Se você quer vender ar condicionado compensa procurar um site específico sobre refrigeração e ar condicionado por exemplo e não deixar o Gooogle selecionar, pois ele pode acabar exibindo seu anúncio em um site que fala sobre conserto de microondas…

Anúncios por CPC X CPM no Google Adwords
Nem sempre exibir anúncios com base no CPC é o melhor caminho. Algumas vezes compensa pagar por CPM (Custo por mil exibições) no Google Adwords. É o caso, por exemplo, de um produto que tenha uma margem baixa.

 
Deixe um comentário

Publicado por em outubro 9, 2010 em Links Patrocinados

 

Tags:

Interface, Interação e Usabilidade


 
Deixe um comentário

Publicado por em setembro 8, 2010 em Tecnologia

 

Tags:

Como aumentar a eficiência das suas campanhas de links patrocinados


Se você faz campanhas de links patrocinados para sua empresa, seja qual for o site (Google, Yahoo!, MSN Bing, Uol, etc.), em algum momento vai enfrentar a seguinte situação, se é que já não está passando por isso: depois de um período de crescimento, os resultados vão estacionar ou mesmo cair. Para impulsionar novamente os cliques, você vai aumentar o orçamento, até chegar ao ponto de questionar se o investimento está valendo a pena.

Essa situação é mais comum e não significa que sua campanha chegou ao limite. Mostra apenas que você está entrando em uma nova fase, que exigirá mais conhecimento sobre como funciona essa ferramenta de publicidade online. Sim porque, por trás da facilidade com que se pode criar um anúncio e imediatamente colocá-lo no ar, existe uma infinidade de detalhes, nuances e variações que determinam o seu sucesso.

Não é intenção aqui entrar nesses pormenores (há uma diversidade de cursos, treinamentos e tutoriais especializados, e o próprio Google fornece inclusive certificações técnicas para quem quiser se aprofundar), mas apresentar algumas orientações fundamentais para ajudar você a aumentar a eficiência dos anúncios e campanhas, gerando resultados sem necessariamente elevar o orçamento. Os pontos básicos para planejar as campanhas são:

Momento de compra do cliente

A internet é uma das únicas mídias que possibilitam realizar todo o processo de compra em um único meio: “descobrir” uma loja, produto ou serviço; pesquisar informações e detalhes, comparar as diversas opções existentes e efetivamente comprar. O segredo para aumentar a eficiência dos investimentos em links patrocinados é criar anúncios que vão ao encontro de cada um desses momentos.

Por exemplo, uma loja especializada em pesca pode fazer um anúncio com o título “equipamentos de pesca” para que as pessoas interessadas em pescaria descubram a sua loja em suas pesquisas na internet; criar um anúncio destacando “varas de pesca e molinetes” para chamar a atenção de quem já procura por esses equipamentos; um anúncio “molinetes marca XYZ, vários modelos” para os que estão pesquisando produtos, e “molinete marca XYZ, modelo A1 em 5x sem juros”, para quem já decidiu pela compra e busca quem ofereça melhores condições de pagamento.

Se você trabalha com e-commerce, o ideal é desenvolver campanhas abrangendo todas essas características. Se a sua empresa possui um site com perfil mais institucional, é preciso descobrir o grau de interesse pelo seu produto/serviço nas pesquisas nos sites de busca para elaborar a campanha com o perfil correto. Uma forma de fazer isso é também criar campanhas focadas na descoberta, pesquisa, comparação e compra e monitorar quais geram maior retorno.

Tenha uma estratégia definida (tráfego x conversão)

Aumentar a eficiência das campanhas também depende de objetivos e estratégias bem definidos. Se você quer tornar sua empresa ou marca mais conhecida, destacar diferenciais, apresentar seus produtos ou prestar algum tipo de esclarecimento, o melhor é adotar uma estratégia para aumentar o tráfego, ou seja, a audiência do site. Nesses casos, opte pelos anúncios mais abrangentes (descoberta e pesquisa). Se o objetivo principal é gerar contatos ou vender (conversão), a estratégia é criar anúncios mais específicos (comparação e compra). Você pode adotar ou alternar as estratégias também de acordo com objetivos pontais, como o caso de uma campanha de esclarecimento ou uma promoção rápida.

Entenda o “Ad Rank”

O conceito foi criado pelo Google para administrar suas campanhas Adwords e é seguido, com diferentes termos e algumas variações, pelos outros sites que oferecem links patrocinados. Como o nome já diz, o Ad Rank é a forma de qualificar um anúncio de acordo com a relevância para quem consulta. Por esse motivo, um anúncio com alto índice de relevância pode aparecer com mais destaque do que um anúncio com orçamento maior. Para que isso aconteça é preciso obedecer a três critérios:

Palavras-chave do anúncio têm que ter objetividade e estar diretamente relacionadas com a “página de destino”.
Página de destino (landing page): é a página específica do site para onde o anúncio está direcionado. Além do link, o Ad Rank leva em conta também se a página do site possui as mesmas palavras-chave do anúncio.
CTR (Click To Rate) é a principal referência para medir o sucesso de uma campanha e é obtida dividindo-se o número de cliques no anúncio pelo número de visualizações, vezes 100 (para quem gosta de matemática, CTR = Cliques / Impressões x 100). Por exemplo, se um anúncio obteve 1 clique e foi visualizado 100 vezes, o seu CTR é de 1%. Considera-se um bom resultado campanhas cuja taxa de CTR seja de pelo menos 3%.

Fonte: iMasters

 
1 comentário

Publicado por em maio 21, 2010 em Links Patrocinados

 

Tags:

Como voar no Twitter


Em apenas quatro anos de existência, a rede social Twitter teve sua história marcada pelo crescimento vertiginoso de seus usuários. Segundo a empresa de pesquisa eMarketer, 2009 terminou com 18 milhões de usuários ativos somente nos Estados Unidos, e a previsão é de 26 milhões até o fim de 2010. O Brasil é o segundo país com o maior número de participantes na rede social (8%) e o terceiro com maior número de tweets (as mensagens de até 140 caracteres) enviados, segundo o instituto Sysomos, que analisou 13 milhões de usuários ativos do Twitter entre 16 de outubro e 16 de dezembro de 2009.

Uma ferramenta de alcance tão amplo como essa deve ser sempre levada em consideração para conquistar e manter clientes. Engana-se, porém, quem acha que ela funciona para qualquer negócio. Abaixo, algumas dicas para saber se você precisa mesmo do pássaro azul e como usá-lo de forma produtiva.

PARA DEFINIR O SEU PERFIL
1. Se o público que você quer atingir não utilizar o Twitter ou a internet corriqueiramente, vai ser difícil suas ações terem algum efeito. “O empreendedor precisa se perguntar se as pessoas que utilizam os serviços dele vão aderir a essa estratégia”, afirma Tiago Fachini, gerente de mídias sociais da agência A2C. “Nem toda empresa precisa entrar no Twitter.”
2. Se a reposta for positiva, defina como se comportar e como deseja ser visto pelos seguidores do seu perfil empresarial, além, claro, do que você quer alcançar com ele. “O Twitter funciona para construir a identidade digital do negócio”, diz Diogo Cardoso, coordenador de planejamento em mídias sociais da Agência Idéia S/A.
3. Definida a imagem da empresa, entenda que os resultados podem demorar a aparecer. Será preciso ter pessoas dedicadas a cuidar da conta na rede social. “Iniciativas no Twitter muitas vezes acabam se tornando bolhas. Os empreendedores fazem poucas atualizações e, no final, abandonam o perfil”, diz Fachini.

PEQUENO MANUAL DE ETIQUETA
1. Depois de abrir sua conta, não se empolgue e saia adicionando pessoas aleatoriamente. “Procure se relacionar com quem você já fez contato ou com pessoas que tenham alguma relação com o universo de sua empresa”, afirma Cardoso. E vá devagar, para não parecer que seu perfil é algum tipo de spammer.
2. Não deixe de lado o uso do bom português, só porque as mensagens são curtas. As reduções — como “vc” ou “pq” — são até válidas, mas assassinar a ortografia, não. “Você deve evitar que sua empresa se torne moda na rede pelos motivos errados”, diz Cardoso.
3. Faça uma pesquisa sobre como vai alaborar suas atualizações e em que espaço de tempo. Se há muito conteúdo para passar, programe suas publicações com intervalos para não sobrecarregar seus seguidores — que podem ficar aborrecidos e desistir de seguir seu perfil. E sempre envie mensagens com informações relevantes.
4. Por último, não deixe de interagir com seus seguidores, usando a ferramenta para agradecer ou tirar dúvidas. “A humanização da ferramenta é muito importante. As pessoas perdem o interesse se a atualização é meramente mecânica”, afirma Cardoso.

O QUE É POSSÍVEL FAZER
1. O pássaro azul pode ser um eficiente — e barato — canal de comunicação. Uma das ações mais utilizadas atualmente é fazer promoções por meio de retwittes: seguidores só participam se reproduzirem no seu perfil uma determinada mensagem. A loja virtual de camisetas Camiseteria, por exemplo, prometeu distribuir os novos Apple iPads como prêmio entre os que seguem o seu perfil. As chances de o concorrente ganhar aumentam se ele retwittar o concurso. “Divulgue a promoção entre os seus seguidores no Twitter. Se um deles for o sortudo que ganhar o Apple iPad, você ainda terá outra chance de ganhar como sendo seguidor do seu seguidor!”, anuncia. Estratégias como essa ajudam a propagar a marca entre pessoas que não conhecem ou não seguem a conta.

2. Divulgar novos produtos e serviços também é uma ação comum. Mas colocar apenas o nome, uma breve descrição e um link pode parecer oportunista para os seguidores. “Dê dicas de utilização, de manutenção ou assuntos que se relacionem ao que você está divulgando”, afirma Fachini.
3. Para aumentar a participação de quem acompanha seu perfil, faça enquetes e pesquisas rápidas de opinião. Ofereça para seguidores influentes a chance de testar algum produto ou serviço novo, para que depois divulguem entre amigos o que acharam. E não deixe de integrar a conta no Twitter à sua página na internet.

FONTE: Revista PEGN

 
Deixe um comentário

Publicado por em maio 5, 2010 em Twitter

 

Tags: ,

SEM :: Search Engine Marketing


Todo dia ouvimos falar de novas siglas que envolvem os serviços e as atividades do mundo moderno. É SEM pra lá, SEO pra cá ou PPC como solução.

O fato é que o SEM nada mais é do que um conjunto de técnicas de marketing para posicionar e promover um site, seja através de técnicas de SEO para melhorar o posicionamento no resultado orgânico ou seja através de links patrocinados.
A escolha das estratégias adequadas fica a critério do tipo de projeto e dos objetivos de seus criadores.

O Search Engine Marketing (Marketing em Sites de Busca), ou simplesmente SEM, é o marketing realizado em sites de busca, como Google e Yahoo!, através de estratégias que posicionem o site de uma empresa nas primeiras posições dos resultados de busca por palavras-chave relacionadas a seus produtos e serviços, ou qualquer palavra-chave que interesse ao site promovido.

O SEM permite que se crie um canal direto com os consumidores que procuram por produtos e serviços, uma vez que uma empresa pode aparecer bem posicionada nos sites de busca, local onde milhões de pessoas procuram, diariamente, por educação, lazer, turismo, produtos e serviços de todos os tipos, e as outras mais diversas motivações que as fazem ir atrás da “moeda do século XXI”: informação.

O posicionamento do site da empresa pode feito nos resultados naturais (ou orgânicos) ou nos resultados patrocinados (pagos).
Independente do lugar onde um site fique bem posicionado (resultado natural ou patrocinado), em todo tipo de ação SEM é possível calcular o retorno sobre o investimento (ROI) das ações realizadas com alta precisão e extrema facilidade.

Podemos dividir as ações de SEM nos seguintes serviços:

# Otimização de sites (Search Engine Optimization – SEO) – Resultados naturais;
# Links Patrocinados (Sponsored Links) e Campanhas por Performance – Resultados patrocinados;
# Cadastro em Sites de Busca – Resultados naturais.

Fonte: SEMBrasil

 
Deixe um comentário

Publicado por em março 21, 2010 em SEO

 

Tags: ,